24.11.14

Capítulo Quinze






Casamento

Demi estava no pequeno banquinho enquanto a costureira terminava a alteração de última hora de seu vestido de noiva. Quando terminou, Demi virou-se para olhar-se no espelho de corpo inteiro. Seu longo cabelo escuro estava preso em um estilo grego. A cor pêssego da sombra de seus olhos parecia seda e ressaltava seus olhos castanhos. Seu batom vermelho profundo fosco complementava a energia pura do seu sorriso. Usava um colar de diamantes e brincos combinando, que Joe lhe tinha dado mais cedo naquela manhã. Corou enquanto pensava sobre a maneira sexy com que ele entregou o presente.
Seu vestido de casamento com espartilho parecia saído de um conto de fadas. A saia era feita com camadas sobre camadas em cima da crinolina e a cauda se arrastava por 2 metros atrás dela. Usava sapatos brancos de plataforma com um fino salto prata.
"Você parece uma princesa." Selena disse com um sorriso brilhante no rosto.
"Fascinante!" Alice disse com admiração.
"Você está deslumbrante." Petal adicionou quando seus olhos começaram a embaçar. Eram todas damas de honra e estavam vestindo vestidos vermelhos combinando.
"Obrigada." Demi sorriu.
"É melhor não começar a chorar com toda essa maquiagem nos olhos." Selena sorriu para Petal.
"Você sabe que não posso evitar, sou tão tola para o amor verdadeiro e o romance. Isto é tão romântico."
"Meninas, estamos prontos para as damas de honra. Preciso que vocês tomem suas posições." A coordenadora do casamento disse para elas assim que entrou no quarto.
Petal sorriu. "Estamos indo Maggie."
"Vejo você lá embaixo." Selena sorriu para sua melhor amiga. Abraçou-a com cuidado antes de sair.
"Você está maravilhosa." Petal disse enquanto abraçava Demi com cuidado para não estragar o vestido.
Alice abraçou. "A noiva mais linda que já existiu."
"Obrigada." Ela sorriu, enquanto observava suas amigas saírem do quarto.
Joe esperou até que todos saíssem do quarto antes de se esgueirar para dentro.
"Droga!" Foi tudo o que conseguiu dizer ao ver Demi.
"Você não deveria estar aqui. Isto dá azar!" Demi gritou.
"Não te ver seria azar." Andou até ficar diante dela.
"Nós temos que ir, o casamento vai começar." Alertou a ele, vendo o olhar faminto em seus olhos.
"Eles não podem começar o casamento sem nós." Disse quando a puxou para si. "Você é a mais bela noiva que já vi. Sou um homem de muita sorte." Beijou levemente seus lábios vermelhos.
"Tenho sorte também."
"Mal posso esperar para ficarmos a sós." Beijou a lateral de seu pescoço antes de sussurrar em seu ouvido. "Não vejo a hora de passar o resto dos meus dias com você."
"Eu te amo tanto." Disse Demi como um sorriso brilhante espalhando em seu rosto.
"Eu também te amo." Beijou sua bochecha. "É melhor eu ir até lá."
"Vou descer em um minuto." Continuou a sorrir ao vê-lo sair do quarto. As coisas estavam acontecendo perfeitamente. Apenas o pensamento de ser a esposa de Joe a encheu com um calor que não conseguia afastar.
Demi deu uma última olhada em si mesma antes de sair do quarto. Toda a casa estava vazia agora; neste momento todos estavam sentados no quintal a espera do início do casamento. Mal tinha alcançado os últimos degraus quando ouviu a voz familiar.
"Srta. Lovato?"
Demi se virou para ver Lila em pé diante dela.
"O que você está fazendo aqui?"
"Estava me perguntando se poderíamos conversar um pouco." Perguntou.
"O que você quer?"
"Gostaria de conversar com você por um minuto, preciso tirar isso do meu peito. Por favor, me sinto muito culpada."
“Eu vou me casar.”
“Por favor, eu imploro. Só um minuto.”
“Está bem, dou cinco minutos.”
“Eu vi um vestíbulo no caminho.” Disse Lila enquanto pegava a mão de Demi e a guiava de volta em direção ao vestíbulo.
Lila entrou no closet primeiro e rapidamente virou o rosto para Demi. Seu objetivo era manter Demi voltada para o closet parcialmente aberto.
"Agora você tem quatro minutos." Demi cruzou os braços sobre o peito.
"Primeiro, só queria dizer que seu vestido é incrível e parabéns. Em segundo lugar, gostaria de pedir-lhe desculpas por tentar sabotar o seu relacionamento." Falou alto para Demi não ouvir Gavin rastejando para fora do armário. Mesmo que estivesse vestindo um uniforme militar, era melhor se Demi não o visse.
"Por que a mudança repentina?" Perguntou Demi. Lila foi cuidadosa em não desviar os olhos para Gavin enquanto ele silenciosamente rastejava para mais perto de Demi.
"Eu não sabia que o que você e Joe tinham era real. Pensei que fosse apenas mais uma de suas amigas de foda. Agora sei que ele está apaixonado por você. Ele nunca se apaixonou ou realmente amou ninguém, então era difícil de aceitar. Ele realmente ama você e sei que não há como eu possa estar com ele enquanto você estiver por perto."
"Isso soa mais como uma ameaça do que um pedido de desculpas."
"Entenda da maneira que quiser." Lila assobiou quando sua expressão mudou.
"Como é que é?" Demi perguntou em estado de choque, ao ver o sorriso furtivo no rosto de Lila. Foi naquele exato momento que Demi sabia que algo estava acontecendo. Infelizmente, já era tarde demais para fazer qualquer coisa sobre isso.
Demi virou-se para olhar diretamente para o rosto de Gavin. Virou-se para correr, mas ele agarrou-a antes que pudesse dar um passo. Ela tentou gritar, mas ele tapou sua boca com um pano grosso encharcado de clorofórmio. O cheiro familiar subiu pelas narinas de Demi e foi direto para seu cérebro.
Ela tentou ficar parada, pois sabia que a luta só iria fazê-lo funcionar mais rápido. Tentou alcançar sua bolsa de noiva e pegar sua arma, mas Lila arrancou de seu ombro.
Lila sorriu. "Acho melhor não."
"Sentiu minha falta querida?" Demi ouviu a voz de Gavin em seu ouvido e apesar de suas miseráveis condições, começou a lutar. Ela lhe deu uma cotovelada na barriga com toda a sua força quando sentiu o clorofórmio fazer efeito. "Relaxe, você vai ter todo o tempo do mundo para lutar comigo. Desta vez, não irá fugir!"
Gavin colocou Demi de volta no closet no grande carrinho que ele havia escondido e entregou para Lila a roupa de empregada, peruca e boné. Ela rapidamente se trocou e ajudou Gavin a colocar Demi no carrinho e juntos empilharam cobertas sobre dela.
"Agora apenas vá para a saída de serviço, o carro está do lado de fora da porta." Instruiu a Lila.
"Certo." Respondeu Lila enquanto empurrava o carrinho em direção à porta.
Ela estava nervosa, mas recusou-se a recuar agora. Mesmo que o plano não desse certo, Lila iria pleitear sua inocência. Diria que Gavin tinha ameaçado matá-la e a seu marido. A morte de seu marido iria ajudá-la na sua história. Ela tinha fé em suas habilidades de persuasão e estava certa de que não entraria em encrenca.
"Demi!" Joe gritou.
"Demi?" Dianna gritou enquanto corria atrás dele.
"Você conseguiu encontrá-la?" Joe gritou assim que viu o policial.
"Não tem nenhum sinal dela." Disse o oficial.
"Onde diabos ela está?" Joe gritou com angústia.
Sua mente estava vagando a um milhão de quilômetros por hora. Seu cérebro estava atormentado com a lembrança de Gavin Grant e do que ele tinha feito com ela.
Gavin está na prisão, lembrou a si mesmo.
"Joe, nós precisamos conversar." Disse Paul. Ele estava em pé ao lado do detetive.
Joe sentiu uma dor aguda na boca do estômago. Seu pai olhou como se estivesse prestes a explodir.
Isso não era bom. Joe seguiu para o escritório.
"Gavin Grant escapou da prisão." Disse o detetive em um tom solene.
"O quê?" Joe perdeu a compostura.
"Por que não nos informou?" Paul latiu com fúria.
"O quê?" Dianna chutou a porta abrindo-a. "Você deixou Gavin Grant fugir e não me avisou imediatamente?" Dianna gritou. A doce e excessivamente dramática mãe se foi, em seu lugar ficou um furioso demônio.
"Henry, vou ter a porra do seu distintivo amanhã." Pam ameaçou ao lado de sua irmã.
"Sinto muito, não tínhamos ideia. Acabamos de descobrir à uma hora atrás. Conheço o encarregado, vou dar-lhe seu nome e o número do distintivo." O detetive ficou obviamente nervoso.
"Como isso aconteceu?" Joe estava fervendo de raiva.
"Houve um grande incêndio na prisão. Havia três corpos que estavam queimados suficientemente para não serem reconhecidos. Um dos corpos se encaixa nas características de Grant. O corpo foi encontrado na ala médica, todo mundo foi contabilizado com exceção de Gavin e de duas das enfermeiras. Eles assumiram que era ele, até que descobriram que havia um médico faltando. O médico não deveria estar no trabalho naquele dia, estava agendado para estar em férias. Infelizmente, ele veio para ajudar." Explicou o detetive.
"Eu não acredito nisso!" Joe rosnou como um animal.
Tudo o que ele tinha tanto lutado para prevenir, agora estava acontecendo. Seu maior medo estava acontecendo bem diante de seus olhos e não havia nada que pudesse fazer. Não tinha ideia de onde estavam. Sentiu-se começando a desmoronar, mas sabia que tinha que ser forte. Tinha que ser mais forte do que já tinha sido em sua vida.
Tinha que encontrar Demi e tinha que encontrá-la agora.
"Bem vinda de volta linda!” Gavin falou para Demi.
Demi abriu seus olhos para ver Gavin a centímetros de seu rosto. Tentou pular em cima dele, mas rapidamente percebeu que estava acorrentada.
Estava grogue e com dor de cabeça. Estava tendo dificuldade para se concentrar em Gavin e percebeu que estava drogada.
"Isto é um sonho." Ela balançou a cabeça.
"Não, isto é realidade e é como será sua vida daqui em diante. Bem vinda ao inferno Princesa." Gavin riu, usando o termo carinhoso de Joe.
"Não!" Ela balançou a cabeça, tentando lembrar o que tinha acontecido. Olhou para seu vestido e gemeu.
"Decidi deixá-la em seu vestido de casamento. Quase me senti um pouco malvado, já que sei que você nunca vai usar esse vestido. Nunca vai se casar com Joseph Jonas."
"Vou usar este vestido e me casar com Joe!" Demi jurou diante de seus olhos fechados, a medicação era muito difícil de resistir.
Metade da delegacia estava na casa de Joe. Havia detetives em todos os quartos onde ela havia entrado. Eles também estavam tentando refazer seus últimos passos. O delegado tinha encontrado uma empregada que viu Demi entrar no vestíbulo. Infelizmente, ela não conseguia lembrar se Demi estava sozinha.
Os detetives fizeram um milhão de perguntas, embora soubessem o que estava acontecendo. Eles estavam lá na primeira vez, quando Gavin tinha batido em Demi. Estavam revirando o local em busca de pistas concentrando-se em todas as entradas e saídas.
Joe procurou em todos os cantos da casa. Procurou em cada carro e em cada pedaço do quintal.
Andou para um lado e para outro e estava pronto para subir em seu carro e procurar ativamente por ela.
Joe sentiu o pavor passar por ser corpo. Como deixou isso acontecer novamente? Foi tão cuidadoso, pensou que tinha garantido que tudo ao seu redor estava salvo e seguro. Por mais cuidadoso que tenha sido, cometeu um erro enorme. Estava tão ocupado observando Demi, que tinha se esquecido de observar Gavin.
Gavin sorriu enquanto se sentava na frente de Demi. "Tenho uma notícia muito boa minha doçura. É fresquinha: Joseph Jonas está finalmente morto."
"Mentira!" Demi balançou a cabeça.
"Um pouco de cianeto em seu bife com ovos fez o truque. Seu corpo está apodrecendo em um porão enquanto conversamos."
Ele sorriu com alegria.
"Joe é muito inteligente e nunca iria deixá-lo chegar tão perto dele."
"Você está certa, ele não deixaria. No entanto, ele é uma besta altamente sexuada e deixaria Lila ficar perto dele. Especialmente se ela está em uma lingerie sexy."
"Mentiroso!" Demi assobiou, seus olhos cor de âmbar faiscavam como o fogo do inferno.
"Não fique chateada querida, você sabe como Joe é. Ele só pensa com o seu pau e usei isso a meu favor."
"Ele não está morto!" Balançou a cabeça, recusando-se a ouvir.
"Mas eu garanto que ele está. Você quer uma prova? Poderia pedir a Lila para me trazer sua mão ou algo assim."
A raiva interior no corpo de Demi a fez tremer e aumentou sua adrenalina. Lágrimas escorriam de seus olhos com o pensamento da morte de Joe. Queria lutar, queria gritar, mas mais do que tudo, queria socar Gavin para longe com suas mãos. Olhou para ele, seus olhos escuros agora desprovidos de emoção apesar de suas lágrimas. Seu lábio superior se contraiu e ela sentiu um aperto começar no profundo do peito.
"Não chore. Você ainda tem a mim Princesa" Ele deslizou a mão pelo seu rosto.
Joe a chamava assim e não permitiria que Gavin contaminasse isso. Era tudo o que Demi poderia aguentar, usou a única arma que tinha disponível para feri-lo: virou a cabeça e cravou os dentes profundamente no braço de Gavin.
"Sua puta do caralho!"
"Nunca mais me chame assim novamente!" Gritou, saltando para frente para agarrá-lo, sem forças porque a braçadeira grossa de metal sufocou-a.
"Você vai aprender a me respeitar!" Ele gritou e, em seguida, levantou o braço e bateu fortemente em seu rosto fazendo um barulho horrendo.
Ela caiu de novo com a força do golpe, mas se recusou a tirar os olhos dele.
"Você pode me bater quantas vezes quiser, mas nunca irei respeitá-lo. Nunca!" Ela se recusava a olhar para baixo.
"Nunca? Minha mãe me ensinou tudo sobre submissão. Sei exatamente quantas surras que leva para quebrar uma pessoa. Não acho que vai levar tanto tempo com você. Nem acho que você poderia mesmo durar tanto quanto eu durei."
"Você vai me bater até a morte antes que eu me submeta." Disse ela em um tom calmo, cuspindo sangue de sua boca. Ainda se recusava a tirar os olhos dele.
"Bem, não queria isso." Gavin disse quando a soltou. "Não quero te matar, mas você é tão vadia, que poderia perder a paciência e fazer exatamente isso. Acho que é melhor deixá-la curtir sua dor no momento."
Ele se levantou e caminhou em direção às escadas. "Vou deixar você matutar sobre a notícia de seu namorado morto, vejo você em breve."
Demi manteve sua postura até que ouviu a porta fechando e então caiu no concreto frio; tomada pela emoção. Ela se enrolou em uma bola, mantendo os joelhos em seu peito enquanto chorava.
"Ele não está morto, ele não está morto." Ela sussurrou, mais e mais, sacudindo a cabeça. Suas lágrimas formaram uma pequena poça de água abaixo dela. "Ele não pode estar morto. É uma mentira. Ele não está morto. Por favor, não deixe que ele seja morto.”
“Por favor, por favor, não deixe que ele esteja morto.” Ela chorou em silêncio, tentando recuperar o fôlego.
Joe estava sentado em sua sala de estar com seu pai e Dianna. Não tinha dormido ou comido e eles estavam preocupados com ele.
"Você vai ser inútil para ela se estiver morto Joe. Você precisa comer alguma coisa e descansar um pouco." O seu pai avisou.
"Vou descansar quando encontrá-la."
"Demi ia querer que você comesse e descansasse. Ela não ia querer que nada acontecesse com você, enquanto não estivesse aqui." Dianna lembrou.
"Não, Demi quer que eu a encontre e vou encontrar!" Informou.
Dianna sentiu alívio por uma fração de segundo. Se alguém pudesse salvar Demi, era Joe. Neste ponto seu corpo já estava se movimentando em direção a seu carro e na necessidade de encontrar Demi. Sua raiva o alimentava e seu medo o fazia agir.
"Eu tenho que encontrá-la." Disse Joe.
"E acredito que você vai... tenho fé em você." Dianna chorou enquanto as lágrimas escorriam pelo seu rosto.


*****


Vocês acertaram!!!! Quer dizer, mais ou menos.. O Joe não conseguiu impedir.
Não tenho nem o que dizer sobre o Gavin né.. O sequestro se repetiu, o que vocês acham que acontece dessa vez?
Mais uma coisa.. O QUE ACHARAM DO LAY? Eu tava enjoada (MUITO ENJOADA) do antigo.. Queria trocar faz uns dois meses, mas demora tanto, não tinha paciência, aojsoas. Enfim...
Beijos.. e comentem.

7 comentários:

  1. Sim, esta ótimo.... a foto do topo do blog, maravilhosa ♥
    Então, buguei... realmente não sei o que vai acontecer agora, mas o Joseph vai pirar.... Acho que a Lila pode se arrepender ein, ou até alguém que a gente menos espera dar uma ajuda.... to confusa, mas meu... Eles merecem uma paz, o Joe vai ficar louco com a Demi, o nível de cuidado vai ultrapassar o limite do aceitável ne?
    Mas é melhor o Joe possessivo do que sofrendo sem a Demi hahaha
    Meu, que raiva de vc, o capítulo só instigando a curiosidade jsjauuajajak

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Lua <3 essa história tem umas reviravoltas né? Auehae e por mais que eu ame que você tenha várias suposições, não posso dar nenhuma diquinha muahahahaha não fica com raiva não amore, amanhã eu posto mais aksjaks beijoooos

      Excluir
  2. Eu imaginava que Gavin iria fazer isso, mas não imaginava que seria exatamente no dia do casamento. Tem que ter alguma pista para Joe ao menos consegui chegar a Lila e ele tem que matar Gavin antes.
    Estou partida pelo sofrimento de ambos, e isso só me faz envolver mais na fic, posta logo!!
    Sam, xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sam, não posso comentar sobre suas hipóteses se não entrego tudo aiusaosj que bom que vc ta intrigada aoisa ja ja eu posto, bjs ♥

      Excluir
  3. Não tenho nem o que dizer sobre o capítulo, realmente não sei o que vai acontecer agora.
    A única coisa que posso dizer é POSTA LOGO!!! Porque se não eu morro de ansiedade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah! E o novo layout tá lindo!!
      Amei a foto de cima ♥

      Excluir
    2. Vi, obgg amor ♥ vou postar agora mesmo!

      Excluir